Bem vindo à CDL FM – A Rádio das quatro estações. Estamos na primavera.

Parque das Mangabeiras recebe a “Folia dos Bichos” neste sábado

02/02/2024

Redação: Prefeitura de Belo Horizonte

Imagem: Thana Dimas Barbosa Lanna/ Divulgação

O Parque Municipal das Mangabeiras Maurício Campos será palco, neste sábado (3), a partir das 13h, da “Folia dos Bichos”, uma ação educativa com atividades de orientação sobre a importância da preservação da fauna nativa e toda a biodiversidade abrigada nas áreas verdes municipais. A atividade é gratuita e aberta para todas as idades. O parque está localizado na avenida José do Patrocínio, 580, no bairro Mangabeiras.

Logo na entrada da Praça das Águas, os visitantes, em especial as crianças, receberão máscaras com o desenho representativo de espécies de animais entre as várias presentes nos parques, como mico-estrela, quati, esquilo, tatu, tamanduá mirim, cachorro do mato, tucano, saíra, coruja, urubu-rei, águia chilena, teiús e rã-mineira, espécie que existe só no Parque das Mangabeiras e na Serra do Caraça.

Haverá, ainda, um bate-papo sobre a importância de não alimentar esses animais, já que por mais inofensiva que a atitude possa parecer, ela pode ser extremamente prejudicial.  Os animais já encontram tudo que necessitam na natureza, sendo que essa busca é necessária para que eles desempenhem suas funções dentro do ecossistema.

Os quatis, por exemplo, são dispersores de sementes, processo importante para a regeneração das matas. Além disso, os humanos podem carregar em seu corpo vírus relativamente inofensivos a eles, mas extremamente letais para alguns animais, como o caso do vírus da herpes e a sensibilidade dos micos a ele. Ao oferecer um alimento com as mãos, pode ocorrer a contaminação de animais mais sensíveis, gerando um desequilíbrio ambiental.

Até o momento, há o registro de 1.053 espécies de animais nos parques municipais. Dentre essas, 10 espécies estão ameaçadas de extinção como o peixe cambeva, o tamanduá mirim, o beija-flor-de-gravata-verde e o macuquinho-da-várzea. Já espécies endêmicas, ou seja, exclusivas de uma determinada região, são 24 espécies da Mata Atlântica, como  beija-flor preto, saracura do mato, tangarazinho e esquilo caxinguelê; e sete do Cerrado, dentre elas, macuco, capacetinho-do-oco-do-pau e tapaculo-de-colarinho